Gênesis de um sonho eterno

A chegada do novo. O término do velho. Novo e velho são fenômenos temporais, momentos distintos que distinguem o antes e o agora e a esperança do porvir. Sim, porque o porvir, o amanhã é o novo por excelência; nele depositamos sonhos e esperanças de felicidade, de alegria, de utopia e perfeição. O velho é o que passou e para alguns chega até mesmo a ser o momento atual; estes, eternos insatisfeitos, procuram sempre no que não é, no que ainda não veio, no futuro, na possibilidade, a real felicidade. E se esquecem que a única realidade concreta que usufruímos é do momento atual, onde podemos dar rumo a nossa história, sendo autores e atores de um enredo sempre em construção.

Vegetarianismo

Meu posicionamento a respeito de não comer carne é um posicionamento antes de tudo ético: compreendo que o consumo da carne não é essencial à saúde desde que a restrição ao seu consumo seja feito com substituições no consumo de proteínas. No entanto, uma vida, ainda que de um animal, é insubstituível. E se prezamos tanto a vida de gatos ou de cães, porque não prezarmos também pela vida de porcos, vacas, galinhas, ou seja de todas as espécies?

Horizonte de eventos do buraco negro

A realidade do presente é ilusória. Ilusão … pois o presente é sempre passageiro. Não o detemos, apenas fluímos por ele, como a água do rio que corre! #constantemente !%$&* (e nunca podemos tomar banho no mesmo rio pois ele é sempre diferente, nunca o mesmo).

Nkgfnhklgfnhklfnhfklghkgjkfthijthijtrnhijrnhyijnrjnhkrn.,2m15lij03496u198u934jn3k;’2387387’2/cl,e.wçmkerm1klro1itjioujijrenfjenkjrnju34nrou34uihj3158u1989hu8fiquwehkfjbsdjkbqfljbf

Apenas o passado é real: concreto no sentido mais radical do termo. #Imutável! (como alterá-lo?). O passado regozija-se com sua força e poderio, com sua capacidade de deter em si mesmo, concretamente, o invariável e permanente evento ocorrido.

<futuro> = ?????????????????????????????????????????????????????

Parafuso em espiral

Viver a voltar. Mudar, transcender. Correr sem parar, sem cessar, sem suar. Nada será como antes, pois tudo muda constantemente e só o que não muda é a mudança constante. Sonhar, sonhar correr, sonhar cair. Jovem ascendente às estrelas, jovem ascendente ao abismo. Abismo estelar, abismo universal, abismo temporal. Nunca mais voltar, nunca mais morrer, nunca mais. Nada será como nunca.

Somos ação, não estado.

Somos ação, não estado. Somos, e não simplesmente estamos sendo. Não se pode julgar uma pessoa baseado em especulações do que ela é por aquilo que demonstrou ser, pois o que ela é verdadeiramente, ou seja, sua essência, é mais do que o percebido.
Não somos o que demonstramos, mas o que demonstramos revela algo do que somos. Nossa essência está em contínua formação e, enquanto existirmos, ela continuará a se formar.

Infinito vazio

Porque frequentemente não estamos satisfeitos com o que temos? Porque somos tão insaciáveis? Porque sempre queremos mais?
Porque tudo o que temos, em última instância, é nada.
Se algo que tivéssemos, por mais ínfimo que fosse, realmente constituísse alguma coisa, estaríamos satisfeitos.
Assim é quando tudo é nada.